Comitâ da Bacia Hidrográfica do Rio Sapucaí – GD5

A bacia hidrográfica do Sapucaí é uma sub-bacia do rio Grande. O rio Sapucaí nasce a mais de 1.750 metros de altitude, em Campos do Jordão (SP). Resultado do agrupamento de várias nascentes dentro do município de Campos do Jordão, em um território entrecortado de cachoeiras e corredeiras que vão formar o rio Sapucaí, que segue o seu curso rio abaixo em direção a Minas Gerais.

Da nascente até a foz, o Rio Sapucaí tem uma extensão de 248 km de comprimento. Ele está dividido em trâs segmentos distintos: – curso superior (Alto Sapucaí), curso médio (Médio Sapucaí) e curso inferior (Baixo Sapucaí).

Alto Sapucaí abrange uma área de 50 quilômetros, iniciando-se em Campos do Jordão até a confluância com o rio Bicas, próximo a Wenceslau Brás. Médio Sapucaí estende-se dessa confluância até o encontro com o Sapucaí – Mirim, no município de Pouso Alegre, atingindo uma área de 90 quilômetros. Baixo Sapucaí, com 143 quilômetros, vai de encontro com o Sapucaí-Mirim até a represa de Furnas.

Municípios que compõem a Bacia Hidrográfica do Rio Sapucaí:

No Estado de São Paulo: Campos do Jordão, Santo Antonio do Pinhal e São Bento do Sapucaí.

No território mineiro, o rio percorre os seguintes municípios: Borda da Mata, Brasópolis, Cachoeira de Minas, Cambuí, Careaçu, Carvalhópolis, Conceição das Pedras, Conceição dos Ouros, Congonhal, Consolação, Cordilandia, Córrego do Bom Jesus, Delfim Moreira, Elói Mendes, Espírito Santo do Dourado, Estiva, Gonçalves, Heliodora, Itajubá, Lambari, Machado, Marmelópolis, Maria da Fé, Monsenhor Paulo, Natércia, Pedralva, Paraisópolis, Paraguaçu, Piranguçu, Piranguinho, Poço Fundo, Pouso Alegre, Santa Rita do Sapucaí, São Gonçalo do Sapucaí, São João da Mata, São José do Alegre, São Sebastião da Bela Vista, Sapucaí-Mirim, Senador José Bento, Silvianópolis, Turvolândia, Virgínia e Wenceslau Brás.

Características ambientais

O relevo suavizado da região está condicionado a movimentos tectônicos mais estáveis. Os mares de morros, em sua maioria, formas de topo arredondado apresentam-se com vertentes côncavoconvexas e planícies aluvionares abertas, que constituem uma superfície cuja altitude predominante se encontra entre 1.000 e 1.100 metros. Na região ainda podem ser destacados a Serra da Mantiqueira, de Maria da Fé e da Bacia do Rio Turvo que sofreram soerguimento acelerado no cenozóico, resultando em um relevo escarpado e vales encaixados.

Antes da construção da represa de Furnas, o Sapucaí juntava-se ao Verde em Pontalete e seguia na direção sudoeste, indo desaguar no rio Grande. Com a formação do lago de Furnas, passou a ser apenas contribuinte da represa.

A região das cabeceiras do Sapucaí apresenta características climáticas muito influenciadas pela orografia da Serra da Mantiqueira. As temperaturas médias anuais giram em torno de 13,4ºC (Mesotérmico Médio), as chuvas são bem distribuídas em todos os meses do ano, apenas decrescendo no período de inverno, com precipitações superiores a 1500 mm. Nas demais áreas da bacia, o clima é caracterizado pelo predomínio de temperaturas amenas durante todo o ano, com médias entre 18ºC e 19ºC. As precipitações médias anuais tendem a ser ligeiramente inferiores a 1500 mm, podendo ocorrer 1 ou 2 meses sem chuva.

Características socioeconômicas

Sapucaí quer dizer rio das sapucaias, isto é, rio que canta, rio que grita. O nome foi dado pelos índios em alusão às lecitidáceas que, quando fustigadas pelos ventos, freqüentes no vale, produziam silvos semelhantes a gemidos. Daí chamarem eles sapucaia, isto é, árvore que chora, árvore que geme, a essas lecitidáceas, então existentes com abundância em quase todo o vale, sobretudo nas margens e barrancas do rio, onde eram mais aglomeradas.

A ocupação da região teve início nos séculos XVII e XVIII quando foi roteiro para as Bandeiras, que partiam das Capitanias do Rio de Janeiro e São Paulo em busca de ouro para a Corte portuguesa. Em 1737, o ouvidor de São João Del Rei, Cypriano José da Rocha, organizou uma expedição para desbravar o rio Sapucaí.

Iniciou-se então a exploração aurífera nas cabeceiras do rio e de sua intensificação nasceram os primeiros núcleos de povoamento no vale, como São Gonçalo do Sapucaí, Santana do Sapucaí (Silvianópolis) e Itajubá. Outros lugarejos foram despontando às margens do rio Sapucaí e seus afluentes, como Santa Rita do Sapucaí, Pouso Alegre e Careaçu.

A cafeicultura, atividade iniciada na região Sul de Minas no século XIX, representa mais de 10% da área territorial da bacia. é uma região com uma estrutura agrária concentrada comandada pela agricultura familiar onde a cafeicultura tem grande expressão ocupando vasta área territorial. Além disso, encontramos culturas de milho, banana e batata.

Nas últimas décadas transformou-se em importante pólo industrial e passou a atrair grandes indústrias para a área. Ganham destaque santa Rita do Sapucaí como importante pólo tecnológico (vale da eletrônica), Itajubá e Pouso Alegre.

Fonte: PLANO DIRETOR DE RECURSOS HÍDRICOS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO DO RIO SAPUCAÍ: resumo executivo. Instituto Mineiro de Gestão das águas. Comitâ da Bacia Hidrográfica do Rio SAPUCAÍ. Belo Horizonte. 2010.

Portal dos Comites de Bacia